05/10/2018 às 12:51

Intenção de compra de bens duráveis cresce no Rio de Janeiro

Intenção de compra de bens duráveis cresce no Rio de Janeiro
Pixabay Intenção de compra de bens duráveis cresce no Rio de Janeiro

O índice que mede a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) do Rio de Janeiro apontou crescimento significativo em setembro para compra de bens duráveis (eletrodomésticos, eletrônicos, carros e imóveis), na avaliação do consumidor. O indicador alcançou 45,8 pontos, subindo 5,5% em relação ao mês anterior e 30,9% ante setembro de 2017.

Já o índice geral de consumo, que avalia sete itens no total, ficou estável, com 73,2 pontos, o mesmo nível de agosto. Já em comparação com o mesmo mês do ano passado, houve crescimento de 25,1%, indicando uma percepção bem mais positiva das famílias em relação ao cenário vivido em 2017.

A pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ), apurada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), mostra que entre os itens com aumento da pontuação, se destacou também o “nível de consumo atual”, que alcançou 60,2 pontos, crescendo 4,2% em relação a agosto e 35% comparado a setembro do ano passado.

Em seguida, o item “renda atual” também mostrou melhora, alcançando 90,7 pontos, o que representa crescimento de 4% e 34,6% em relação a agosto deste ano e a setembro de 2017, respectivamente. De acordo com o levantamento, 25,1% das famílias entrevistadas afirmaram estar com melhor renda.

A segurança em relação ao emprego atual ficou praticamente estável, com 101,6 pontos (crescimento de 0,2% de agosto para setembro), e aumentou 13,6% quando comparada a setembro do ano passado. Entre os entrevistados, 12,1% afirmaram estar desempregados. No mesmo mês do ano passado, 17% dos entrevistados afirmaram estar desempregados à época.

Dos sete itens apurados, três tiveram queda em setembro, comparados a agosto, porém, com aumento expressivo em relação ao mesmo mês do ano passado. O tema perspectiva de consumo obteve 59,9 pontos, o que representa queda de 8,4% ante agosto e aumento de 21% em relação a setembro de 2017. Para a Fecomércio RJ, o dado pode indicar que o comércio pode ainda não se recuperar no mês das crianças, porém, as vendas para o período podem melhorar este ano comparadas a 2017.

Completando, houve queda nos itens perspectiva profissional, com 77,7 pontos (queda de 3,8% mensal e aumento de 28,9% em um ano) e acesso a crédito para compras a prazo, com 76,1 pontos (queda de 0,5% de agosto para setembro e aumento de 20,2% comparado a setembro do ano passado). Neste item, 21,8% das famílias entrevistadas afirmaram maior facilidade para obtenção de crédito, enquanto 45,5% disseram estar mais difícil.

A pesquisa utiliza pontuação de 0 a 200 pontos, sendo os índices abaixo dos 100 pontos indicando percepção de insatisfação e acima de 100 pontos, grau de satisfação.

knfgws.png

 

snk.png

Para download

Relatório Fecomércio RJ - ICF Rio de Janeiro Setembro 2018 | Download