16/04/2021 às 13:18

Diretor da Fecomércio RJ defende vacinação em massa para garantir a retomada das atividades de apoio social

Em relação às suas expectativas para o pós-pandemia, Belmiro defende a vacinação em massa.
Divulgação Em relação às suas expectativas para o pós-pandemia, Belmiro defende a vacinação em massa.

Nesta edição, o convidado da série de entrevistas especiais com diretores da Fecomércio RJ é Belmiro Nunes, 2º Diretor para Assuntos de Consumo na Federação e sócio-fundador do Sindicato das Instituições, Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas do Estado do Rio de Janeiro. Carioca, nascido e criado no bairro do Flamengo, Belmiro Nunes começou sua trajetória profissional como bancário, em 1957.

Belmiro Nunes atuou durante 29 anos no setor bancário, passando por diversos cargos, como estagiário, escriturário, gerente, chegando a ser diretor, cargo o qual se orgulha bastante. Para enriquecer seu currículo profissional, se formou em Direito e, alguns anos depois, resolveu aceitar uma oportunidade de trabalho na área social de uma grande empresa para fazer a gestão dos recursos destinados à responsabilidade social.

Com isso, o executivo acumula 33 anos de trabalho e experiência na área social, o que o levou a fundar, junto com o ex-presidente do Sinbref, Pedro Richard, o Sindicato das Instituições, Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas do Estado do Rio de Janeiro, em 1984. Belmiro Nunes se tornou presidente do Sinbref em 2015 e, atualmente, é um dos conselheiros da entidade. Há três décadas, ele atua, também, na captação de doações para a instituição Cruzada do Menor.

Como diretor da Fecomércio RJ, Belmiro Nunes defende diversos pleitos em prol do setor, como a isenção de IPTU para locatários e comodatários de instituições sociais. Além disso, Belmiro Nunes reconhece a importância da Fecomércio e dos sindicatos na defesa das empresas do comércio. “A Federação é um suporte muito forte para nós, dos sindicatos. Admiro muito o trabalho excelente e transparente do presidente, Antonio Queiroz, junto aos empresários”, comenta.

Durante a pandemia, Belmiro Nunes relata que as instituições beneficentes foram bastante impactadas. “Infelizmente não conseguimos realizar atendimentos presenciais por conta do isolamento social, então, tivemos que investir na tecnologia para realizarmos lives e curso on line, por exemplo”, explica.

Em relação às suas expectativas para o pós-pandemia, Belmiro defende a vacinação em massa. “A vacina é nossa salvação para vencermos essa sensação de ‘futuro incerto’. Precisamos que todos os grupos, desde as crianças até os mais idosos, sejam imunizados. Só assim conseguiremos retomar nossas atividades”, defende o entrevistado.