08/10/2019 às 15:06 - Atualizado em 09/10/2019 às 12:05

Índice de Consumo das Famílias registra leve queda no mês de setembro

Desemprego alto na cidade do Rio de Janeiro oferece obstáculo ao crescimento da renda do carioca
Freepik Desemprego alto na cidade do Rio de Janeiro oferece obstáculo ao crescimento da renda do carioca

O monitoramento de setembro do Índice de Consumo das Famílias (ICF-RJ) registrou queda de 2 pontos, caindo de 81 para 78,9, devolvendo o ganho obtido em agosto. A queda da confiança surpreende, já que a variação do volume de vendas em agosto, frente ao mês anterior, dos setores de serviços e comércio (varejo restrito e ampliado) foi positiva, bem como o saldo dos empregos formais (+ 6.447 mil no mês de agosto, na cidade do Rio de Janeiro).

Em uma análise mais cuidadosa da queda, feita pelo IFec RJ, o item que mais contribuiu foi aquele que mede a impressão dos pesquisados sobre a renda atual. Os dados divulgados pela secretaria de trabalho, subordinada ao Ministério da Economia, na semana passada nos dão uma pista do que está acontecendo.

No mês de agosto, na cidade do Rio de Janeiro, o valor médio dos salários das pessoas admitidas (+ 59.154) no setor formal registrou R$ 1.841,89, enquanto o valor médio dos salários dos demitidos (- 52.698) marcou R$ 2.019,84. A incorporação de trabalhadores mais baratos no quadro de funcionários pode ter contribuído para a percepção de queda da renda atual.

O desemprego ainda alto na cidade do Rio de Janeiro (12,6% no segundo trimestre de 2019) oferece obstáculo ao crescimento da renda do carioca, já que diminui o poder de barganha dos trabalhadores para negociar salários mais altos.     

Mesmo diante de uma queda verificada em setembro, o IFec RJ espera para outubro um crescimento do ICF-RJ.  Deverão contribuir: i) a liberação dos recursos do FGTS em outubro para não correntistas da CEF e ii) segundo corte de 0,5 ponto percentual da taxa básica de juros, divulgada no dia 18 de setembro.

Para download

ICF - setembro 2019 | Download