18/05/2020 às 14:35 - Atualizado em 22/05/2020 às 14:36

Live do Senac RJ esclarece dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda

Durante a live, transmitida pelo Instagram do Senac RJ e mediada por Marilene, o presidente do CRCRJ esclareceu dúvidas sobre como fazer a declaração.
Freepik Durante a live, transmitida pelo Instagram do Senac RJ e mediada por Marilene, o presidente do CRCRJ esclareceu dúvidas sobre como fazer a declaração.

Dados do Ministério da Economia estimam que 32 milhões de contribuintes farão a declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física em 2020, sendo que 14 milhões já realizaram a entrega. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o governo federal prorrogou o prazo para envio da declaração até 30 de junho, garantindo mais tempo para os contribuintes.

Por conta disso, o Senac RJ realizou, no dia 15 de maio, uma live sobre o tema com a participação do presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Rio de Janeiro (CRCRJ), Samir Nehme, e a contadora e especialista do Senac RJ em Desenvolvimento de Produtos Educacionais e Soluções Corporativas, Marilene Nascimento. Durante a live, transmitida pelo Instagram do Senac RJ e mediada por Marilene, o presidente do CRCRJ esclareceu dúvidas sobre como fazer a declaração, quais documentos reunir, quais despesas que podem ser abatidas, como declarar espólio, como fugir da malha fina, entre muitas outras. Com dicas práticas sobre como o contribuinte deve elaborar sua declaração com segurança, a live também abordou o calendário de restituição, a diferença entre a declaração completa e a simplificada, e as principais novidades do programa deste ano.

Ao longo da conversa, Samir Nehme respondeu perguntas como a inclusão de dependentes, que costuma gerar dúvidas. “O contribuinte tem que ter muito cuidado no lançamento dos dependentes. Para a Receita Federal, são considerados dependentes os seus ascendentes, seus pais, avós, bisavós, e os seus descendentes diretos, como filhos e os que são equiparados a filhos, como os enteados. Caso tenha outro menor na casa que não se adeque a essa categoria, ele só poderá ser incluso como dependente caso se tenha a guarda judicial do mesmo. Esse é um ponto que vale toda a atenção na hora do preenchimento, para que o cidadão não caia na malha fina”, esclareceu o presidente do CRCRJ.