21/03/2019 às 18:02 - Atualizado em 25/03/2019 às 09:44

Representantes do Sesc de 23 regionais do país discutem novas práticas em educação complementar

O presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florêncio de Queiroz Junior, abriu o encontro
Hélio Melo O presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florêncio de Queiroz Junior, abriu o encontro

O Sesc Copacabana está sediando, esta semana, o 2º Encontro Nacional do Projeto Habilidades de Estudo (PHE). O evento reúne representantes da área de Educação de 23 regionais do Sesc do país para compartilhar experiências sobre iniciativas de educação complementar, ou seja, aquelas realizadas fora do ambiente formal de ensino, em contraturno escolar.

Além de conhecer as boas práticas realizadas pelos seus pares nos outros estados, os profissionais estão debruçados sobre o modelo adotado nacionalmente pelo Sesc nessa área para atualizá-lo à luz das novas exigências da educação e da sociedade contemporânea. Ao fim do encontro, nesta quinta-feira (21), o grupo elaborou um documento com diretrizes balizadoras para os projetos.

REFERÊNCIA INTERNACIONAL - Anfitrião do encontro, o Sesc RJ compartilhou com o grupo a experiência do Sesc +Infância, projeto tido como referência entre os educadores e que acontece em 9 unidades no estado, incluindo as olímpicas (Parques Radical de Deodoro e Arena Carioca 3, zona oeste do Rio). Os detalhes sobre a iniciativa, oferecida a crianças entre 6 e 12 anos, serão apresentados no 5º Colóquio Internacional sobre Desigualdades Escolares, que acontece dias 24 e 25 de abril em Lausanne, na Suíça.

Em razão da visibilidade internacional do projeto, o Sesc RJ sediará, em sua unidade de Copacabana, o Congresso Mundial sobre Infância, Adolescência e Juventude em outubro. Na edição 2018, professores de Educação Infantil da instituição apresentaram 5 artigos no evento realizado em Monterrey, no México, abordando as experiências vividas por aqui.

METODOLOGIA – O Sesc+ Infância acontece em espaços de aprendizagem mediados por profissionais especializados no desenvolvimento de crianças pequenas. A criança é considerada protagonista de suas experiências, e o conhecimento é construído com base no brincar. Durante o encontro, a diretora Regional do Sesc RJ, Regina Pinho, destacou a importância de se colocar a pauta da educação complementar na agenda do dia dos profissionais da área.

“Nós estamos no século 21 e, já há muito tempo, a educação está fora da sala de aula. O conhecimento formal e acadêmico é essencial, mas não é o mais importante. Todos os países desenvolvidos, que evoluíram do ponto de vista humano, não limitam sua educação às quatro horas de sala de aula. Nós também queremos uma educação transformadora”, destacou a diretora do Sesc RJ.

No encontro com os educadores, o presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florêncio de Queiroz Junior, lembrou os dizeres de Darcy Ribeiro (1922-1997) – idealizador dos CIEPS, escolas de turno integral – para reforçar a importância da educação para desenvolvimento humano. “Não se combate violência com violência, se combate com educação. Darcy Ribeiro dizia que se não construirmos escolas, haverá um momento em que teremos que construir presídios”, alertou o dirigente.