13/04/2021 às 17:05 - Atualizado em 16/04/2021 às 13:14

Sesc RJ em Ação: Mesa Brasil leva alimentos para Teresópolis e fórum on-line abordará a educação em tempos de pandemia

Programa Mesa Brasil levou 1,5 tonelada de hortifrutigranjeiros à Câmara de Vereadores de Teresópolis, que agora trabalha na distribuição dos alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade social no município
Helio Melo Programa Mesa Brasil levou 1,5 tonelada de hortifrutigranjeiros à Câmara de Vereadores de Teresópolis, que agora trabalha na distribuição dos alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade social no município

O Mesa Brasil Sesc RJ - programa de segurança alimentar e nutricional do Sesc RJ – entregou, na última terça-feira (13/4) cerca de 1,5 tonelada de hortifrutigranjeiros (frutas, verduras e legumes) à Câmara de Vereadores de Teresópolis. As 200 cestas estão sendo distribuídas pelo legislativo local para pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social por conta da crise provocada pela pandemia. Cerca de 800 pessoas serão beneficiadas pela ação, que integra o projeto Compartilha Teresópolis, parceria institucional da Câmara de Vereadores e a Cruz Vermelha.

Os alimentos doados são oriundos de propriedades rurais que integram o Mesa no Campo. Por meio do projeto, os produtores doam seus excedentes – alimentos em perfeito estado e com alto valor nutritivo, mas baixo aproveitamento comercial - ao Mesa Brasil Sesc RJ. O programa, por sua vez, os repassa para entidades e instituições, que fazem a distribuição para o público final.

No caso da doação desta semana, a parceria envolve a Câmara de Vereadores de Teresópolis por uma solicitação do presidente da casa, Leonardo Vasconcelos, que vem trabalhando no sentido de mitigar os efeitos da pandemia na cidade. O pedido foi feito ao presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Teresópolis (Sincomércio), Rodiney Turl, que o encaminhou ao presidente do Sistema Fecomércio RJ (Fecomércio, Sesc e Senac), Antonio Florencio de Queiroz Junior.

EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA

O Sesc RJ também realiza, até o dia 30 de abril, a 2ª edição do Fórum Inclusivo - Conversando sobre práticas educativas. O evento on-line reúne especialistas, comunidade escolar, ativistas, pessoas com deficiência e outros interessados no tema numa programação onde se discutirá a educação inclusiva e os desafios nessa área, que foram ampliados pela pandemia. A participação é gratuita, com algumas atividades abertas e outras limitadas mediante inscrição. Informações em www.sescrio.org.br

As lives abordam a questão da inclusão escolar sobre diversos aspectos, como o brincar, a parceria escola e família, a importância das ONGs e os obstáculos na aprendizagem. Também vão ocorrer palestras e rodas de conversa com relatos de experiência de práticas escolares inclusivas e a participação de profissionais que desempenham ativismo em prol da causa.

Quem abriu o evento, no dia 13 de abril, foi Márcia e Hiram Fortes, mãe e filho participantes do Sesc+ Infância, projeto de educação complementar do Sesc RJ. Por meio de relatos de experiência, falarão do desenvolvimento integral de crianças com necessidades educacionais específicas. Em seguida, a arte educadora Carla Giovana, que atua na Secretaria Municipal de Educação de Barra Mansa, falou sobre expressão, subjetividade e possibilidades.

Outro destaque da programação é a participação da coordenadora do Observatório sobre Inclusão em Educação e Direitos Humanos (UFF/INFES), Jacqueline Gomes, que ampliará a importância do diálogo da universidade com a sociedade a partir das pesquisas em Sociologia do Diagnóstico. PHD em Bioética, a pesquisadora realiza, dia 23 de abril, a palestra "O laudo que é meu, a deficiência que é nossa: ensinar para diagnósticos ou ensinar para pessoas?".