19/11/2018 às 12:21 - Atualizado em 27/11/2018 às 13:04

Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura lançam livros no Rio de Janeiro

Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura lançam livros no Rio de Janeiro
Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura lançam livros no Rio de Janeiro

No dia 13 de novembro, o espaço Arte Sesc, no Flamengo, recebeu os autores dos livros vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2018, que lançaram suas obras durante o evento e participaram bate-papo e de sessão de autógrafos. A cerimônia contou com a participação do presidente da Fecomércio RJ e foi apresentada pela atriz Fernanda Torres.

Os escritores Juliana Leite e Tobias Carvalho foram os escolhidos deste ano nas categorias Romance e Conto, com os livros "Entre as mãos" e “As coisas”, respectivamente. As obras são publicadas e distribuídas pela editora Record, com tiragem inicial de 2 mil exemplares.

O bate-papo foi mediado pela escritora e poeta Estela Rosa, intercalado pela leitura dramatizada de trechos dos livros vencedores. "Acredito que não há maior indutor da igualdade social do que o acesso à educação e à cultura. Valorizar e divulgar a cultura e a arte, como a literatura, e proporcionar este acesso, faz parte dos grandes compromissos de nosso sistema", afirmou o presidente da Fecomércio RJ em seu discurso.

Natural de Petrópolis (RJ), Juliana Leite, de 35 anos, é mestre em Literatura pela Uerj, onde também se formou em Relações Públicas.  Sua obra, “Entre as mãos”, conta a história de uma mulher que, após sofrer um acidente, desperta com o corpo marcado por cicatrizes profundas.

Já o autor Tobias Carvalho nasceu em Porto Alegre e tem 22 anos de idade.  Em seu livro “As Coisas” o escritor apresenta contos com personagens homossexuais, com histórias que se entrelaçam e se contrapõem sob diferentes olhares e gêneros.

15 anos do Prêmio Sesc

Criado em 2003, o Prêmio inclui os autores em programações literárias do Sesc. Desde a primeira edição, o concurso já teve mais de 12 mil livros inscritos e revelou 27 novos escritores.  O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, protegidos por pseudônimos. Ou seja, quem avalia não sabe quem os escreveu. Em 2018, o Prêmio teve 1.540 inscritos, sendo 720 livros de contos e 820 romances.