12/09/2018 às 12:20 - Atualizado em 13/09/2018 às 15:34

Inadimplência no Rio de Janeiro cai ao menor nível em três anos

Inadimplência no Rio de Janeiro cai ao menor nível em três anos
Pixabay Inadimplência no Rio de Janeiro cai ao menor nível em três anos

Dados da Fecomércio RJ, apurados pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), apontam queda nos níveis de endividamento e de inadimplência entre as famílias do Rio de Janeiro, em agosto. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), 60,1% das famílias entrevistadas afirmaram ter alguma dívida. 
 
É o menor percentual desde junho de 2017, o que indica postura de precaução do consumidor em contrair novas dívidas. Houve queda tanto em relação ao mês anterior quanto em comparação a agosto de 2017, quando foram registrados 60,7% e 61,1% de endividamento, respectivamente. Na pesquisa, são considerados compromissos com cartão de crédito, cheque (especial e pré-datado), empréstimos (pessoais e consignados) e financiamentos (carnês, carro e imóvel). 
 
Inadimplência
Já o nível de inadimplência em agosto alcançou o menor percentual desde 2015, com 23,9% dentre o total de famílias, diante de 24% em julho e 30,8% em agosto de 2017. Ainda assim, o número de agosto representa cerca de 564 mil famílias com alguma dívida em atraso no cartão, cheque, empréstimos ou financiamentos. A menor taxa registrada anteriormente fora em março de 2015, de 18,8%. Os números de endividamento e inadimplência de agosto repetem os de junho deste ano.
 
Em relação à quitação das contas em atraso, o número de famílias que afirmou não ter condições de pagar a dívida atrasada, dentre o total de famílias entrevistadas, aumentou de 10% em julho para 11,1% em agosto. No entanto, em agosto do ano passado, esse percentual era de 16%. 
 
De acordo com os dados da Fecomércio RJ, o tempo médio de atraso no pagamento das dívidas é de 59,5 dias. Para a maior parte das famílias (41,3%), o tempo de atraso é superior a 90 dias. Para 28,7% os atrasos são de até 30 dias, e para 27,5%, entre 30 e 90 dias. Já a perspectiva futura de comprometimento com as dívidas em agosto ficou igual ao mês anterior, com média de 7 meses, sendo que a maior parte dos entrevistados (32,5%) afirmou estar comprometida por mais de um ano à frente.
 
Tipos de dívidas
Segundo o levantamento da Fecomércio RJ, em agosto o cartão de crédito continuou sendo a modalidade mais utilizada na contração de dívidas no Rio de Janeiro, listado por 72,1% das famílias, mas registrou queda em relação ao mês de julho, quando 73,9% das famílias entrevistadas afirmaram ter dívidas no cartão. 
 
É a segunda queda seguida, desde junho. Houve diminuição também em relação há um ano, quando o percentual alcançava 78% em agosto de 2017. Em seguida, as principais dívidas listadas em agosto foram: carnês (11,6%), financiamento de carro (10,7%), crédito pessoal (10,3), financiamento de imóvel (9,9%) cheque especial (7,7%) e crédito consignado (5,9%).
 
O levantamento da Fecomércio RJ aponta, ainda, queda na parcela média da renda comprometida com a dívida, dente aqueles que afirmaram estar endividados. O percentual passou de 28,3% em julho para 27,9% em agosto. Há um ano, em agosto de 2017, a taxa era 30,3%, indicando atualmente melhor composição de endividados, em um ambiente de maior cautela, com menos propensão ao endividamento. 

 

Para download

Relatório Fecomércio RJ - PEIC Rio de Janeiro Agosto 2018 | Download