20/12/2018 às 13:25

Maior parte da segunda parcela do 13º salário será gasta no comércio

Maior parte da segunda parcela do 13º salário será gasta no comércio
Pixabay Maior parte da segunda parcela do 13º salário será gasta no comércio

O pagamento da segunda parcela do 13º salário, que deve ser feito nesta quinta-feira, dia 20, de acordo com a legislação, vai injetar mais R$ 4,05 bilhões na economia fluminense, de acordo com estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ). O valor já considera as deduções de imposto de renda. A primeira parcela, paga no dia 30 de novembro, representou R$ 4,76 bilhões, totalizando R$ 8,81 bilhões a mais em circulação no mês de dezembro.

De acordo com o levantamento da Fecomércio RJ, o valor médio pago no 13º salário é de R$ 2.240 (considerando o valor integral). Cerca de 3,9 milhões de trabalhadores formais receberão o benefício em todo o estado, sendo 2,79 milhões do setor privado, 201 mil trabalhadores domésticos, 125 mil empregados do setor público e 793 mil servidores públicos e militares. O estudo da Federação leva em conta dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD Trimestral), do IBGE. 

Os recursos devem impulsionar a economia no fim de ano, quando tradicionalmente o comércio tem maior movimento de vendas. A Fecomércio RJ estima a contratação de 10,3 mil funcionários temporários para suprir a demanda do comércio neste período, em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Gastos no comércio
Segundo estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 46% dos valores pagos na segunda parcela do 13º salário deverão ser usados em curto prazo no comércio, o que representa R$ 1,86 bilhão em todo o Estado. Outros 23% servirão para o pagamento de dívidas e 31% deverão se destinar ao setor de serviços, gastos na quitação de obrigações de início de ano ou simplesmente poupados para consumo futuro.

O levantamento levou em consideração dados de consumo e endividamento e inadimplência das famílias, bem como a massa salarial do contingente de trabalhadores formais da iniciativa privada, do setor público, empregados domésticos, além dos beneficiários dos Regimes Geral e Próprio da Previdência Social.